quarta-feira, 15 de maio de 2013

NOIVADO


Paulo Roberto Gramoso
Assembleia de Deus Olaria

Salmos 19.1-14
Analisando o livro de Salmos (19) podemos contemplar a convivencia da criação divina nos ensinando, como devemos conviver uns com os outros.
Verso (1) “Os céus manifestam a glória de Deus...” se pararmos para pensar na vida a dois cada um tem a sua responsabilidade. Pois para muitos deve se existir um regime majoritário, no entanto aqui nós vamos aprender que as responsabilidades, sãos iguais, por isso deve haver concordancia e limites os quais devem estar subordinados a Deus o nosso criador.
A responsabilidade dos céus é manifestar a glória de Deus, devido a posição em que o céu se encontra, pois de qualquer lugar da terra que olharmos estaremos contemplando o céu, essa maravilha criada por Deus.
Enquanto que a terra tem a função de anunciar a obra, pois cada vez que olhamos a nossa frente, nos deparamos com alguma feitura de Deus, começando pela humanidade, pare um pouco e contemple a criatividade de Deus ao criar-nos pois jamais encontraremos pessoas que serão identicas a nós, somos propriedade particular e individual de Deus, Ele quando te fez achou lindo e maravilhoso, mas jogou a forma fora e não a repetiu.
Tiramos como lição que por mais que amemos uma pessoa, ela JAMAIS será como somos, muito menos irá ser como queremos que seja, pois se isto acontecer a mesma irá perder a sua identidade, ou personalidade, como queira.
Assim como o sol, a lua, as estrelas, a terra, a natureza, etc. Todos ocupam o seu devido lugar, para cumprir a sua missão, nós também temos uma missão ao lado daqueles aos qauis amamos.

Verso (2) “Um dia faz declaração ao outro dia,...” o salmista, por ordem e inspiração divina escreveu isto. Querendo nos dizer do relacionamento entre as criaturas.
Você já se declarou para alguém hoje, então comece agora, declare: “eu ti amo, em Cristo Jesus”.
“Mostra sabedoria,...” quantos de nós não queremos trocar informações sobre aquilo que sabemos, converse com seu conjuge, faça dele um parte de você, não um companheiro ou amigo apenas, mas sim parte essencial da sua vida, mostre o potencial de amá-lo que você tem.

Verso (3 e 4) “Sem linguagem, sem fala,...” a convivencia os fará a ter tanta intimidade a ponto de um olhar significar uma palavra, uma frase, ou até mesmo um pensamento completo.

Verso (5) “Qual é o noivo que sai do seu tálamo...” tálamo quer dizer leito nupcial ou quarto onde o casal tem sua intimidade.
Muito bem quantas vezes já fomos pegos, levantado pela manhã com a cara emburrada. Que coisa triste, após uma noite ao lado da pessoa amada, parece que passamos a noite toda amarrados sendo surrados como prisioneiros, encarcerados e sofredores.
      Enquanto que o personagem do texto sai como um heroi pronto para a batalha, lembro-me de um técnico que falando a respeito da concentração que o jogador devia cumprir antes do jogo para estar bem no momento do jogo; porém um jogador famoso, o qual me reservo do seu nome por questão ética, era uma exceção, este só ficava bem se saisse da concentração para namorar.  
     
      Verso (6) “..., e o seu curso,...” não podemos querer colocar “o carro na frente dois bois”. Alguém usa dizer que no onibus se ficarmos perto da porta de saída, chegamos mais rapido, sim pode ser, mas às vezes deixamos de compartilhar com alguem que precisa devido a nossa pressa.
Eclesiastes 8.3 “ Não te apresse a sair do lado daquele” que tu amas.

      Versos (7, 8 e 9) “A lei,... os preceitos,... o temor, etc.” Leia os versos, e veja a riqueza que está a nossa disposição.

      Verso (10) “Mais desejáveis são do que o ouro...” Uma das preocupações dos noivos é com as alianças, mas aqui vemos que a presença de Deus é coisa mais importante.
 Eclesiastes 4.9-12 inicia nos dizendo de duas pessoas, e por fim diz que “se alguem quiser prevalecer contra um, dois lhe resistirão, e o cordão de TRÊS dobras não se quebra tão depressa” subentende-se que esses dois do texto tinham, juntos, um relacionamento com Deus, o qual era a terceira pessoa presente.

Verso (11, 12 e 13) “admoestar,... recompesa”. Aqui aprendemos que somos advertidos e recompesados pelo Senhor, parece que há uma divergencia, pois quem é advertido está fazendo algo errado e deveria ser indigno de recompensa.
Porém vamos ver o que diz o verso (12 e 13) “entender,... expurgar” não sabemos o porquê muitas vezes pecamos, porém acreditamos no sacrificio remidor do Sangue de Jesus, pois só Ele tem poder de perdoar pecados, e então receberemos o nosso perdão por nossos pecados cometidos ate mesmo ocultamente e consequentemente ficaremos limpos.

Verso (14) corinho:
 “Que as palavras da minha boca, e a meditação do meu coração, sejam todas em louvor a ti oh Senhor!”.
Quando aquilo que falamos, e aquilo que meditamos agrada a Deus, consequentemente estará agradando a quem eu amo, também ferindo nosso conjuge, nossa noiva, nosso noivo, e assim por diante.
Procure, o mais rápido possivel as pessoas que te rodeam e peça perdão por tudo que você tenha feito ou falado, vamos viver em paz. Romanos 12.18 “... Tende paz com todos os homens”.
Se você quiser pedir perdão a Deus para ter paz com Ele, aceite a Jesus, porque Ele é a porta da salvação.



Fontes:    
·       NET - sites Wikipédia.
·       BEP – Bíblia de Estudo Pentecostal

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

É para mim uma honra acessar ao seu blog e poder ver e ler o que está a escrever é um blog
simpático e aqui aprendemos, feito com carinhos e muito interesse em divulgar as suas ideias,
é um blog que nos convida a ficar mais um pouco e que dá gosto vir aqui mais vezes.
Posso afirmar que gostei do que vi e li,decerto não deixarei de visitá-lo mais vezes.
Sou António Batalha.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se ainda não segue pode fazê-lo agora, mas só se gostar,
eu vou retribuir seguindo também o seu.
Que a Paz de Jesus esteja no seu coração e no seu lar.